Gestão de dados e previsões de marketing para 2022

Por Guy Hanson, vice-presidente internacional de Engajamento de Clientes da Validity

São Paulo, fevereiro de 2022  2021 foi um ano imprevisível para marcas e consumidores. Sem dúvida, a pandemia trouxe uma variedade de desafios e oportunidades para as empresas e suas equipes de marketing, que tiveram que se adequar a uma série de mudanças regulatórias significativas ao longo do período.

Depois de dois anos muito turbulentos, espera-se que as marcas usem as diversas táticas de marketing disponíveis que as ajudará a engajar melhor com seu mercado-alvo e, por sua vez, aumentar as vendas para o negócio.

O crescimento do e-mail
2021 foi um marco no setor, com a celebração de 50 anos de e-mail. Como canal de comunicação, ele percorreu um longo caminho desde que a primeira mensagem foi enviada, e ainda existem estimativas de aumento do número de usuários globais para 4,6 bilhões até 2025.

Previsões repetidas de que o e-mail desaparecerá gradualmente e se tornará irrelevante no mundo moderno têm sido consistentemente desconsideradas. Essas previsões geralmente giram em torno do crescimento de outros canais de comunicação, como SMS e as mídias sociais.

No entanto, o e-mail continua a reforçar sua posição como o canal de comunicação de marketing preferido para profissionais dessa área e consumidores, e continuará crescendo nos próximos anos como o pilar central de qualquer estratégia de marketing bem-sucedida. Neste ano, o e-mail se desenvolverá tanto em termos de receita e engajamento quanto em volume.

As Accelerated Mobile Pages (AMP), ou Páginas Móveis Aceleradas para e-mail, é uma tecnologia que já existe há vários anos, mas 2022 é o ano em que se prevê sua popularização. A AMP permite que os remetentes combinem conteúdo dinâmico, em tempo real e atualizado, com interatividade em experiências individuais hiperpersonalizadas, como por exemplo, funcionalidades tipo carrosséis, menu  hambúrguer (aquele ícone com três listras como forma de acesso aos itens de navegação da interface) e pesquisas incorporadas no e-mail.

Até o momento, a adoção desse recurso tem sido lenta, em parte porque a implementação consome tempo e dinheiro, e ainda não é totalmente suportada por todos os provedores de e-mail (caso da Apple, por exemplo). No entanto, trazer mais funcionalidades para a caixa de entrada significa que os assinantes estão mais preparados para converter quando clicam (± 20% a mais), tornando a AMP para e-mail uma opção interessante.

No ano passado a Apple lançou o Mail Privacy Protection (MPP), que pré-busca todas as imagens de e-mail no momento da entrega, o que significa que os pixels de rastreamento serão acionados independentemente de os usuários terem aberto esses e-mails ou não. Além dos relatórios de taxa de abertura, as táticas de e-mail estabelecidas (como higiene de lista, gerenciamento de recência e automação da jornada do cliente) são afetadas, com o efeito indireto de uma experiência de assinante potencialmente limitada para os usuários da Apple.

Embora seja um passo louvável em direção a uma maior privacidade do consumidor, o MPP está criando novos desafios para os profissionais de marketing, à medida que eles enfrentam desafios para medir e entender o que impulsiona o engajamento do assinante.

Por causa do MPP, espera-se que esses profissionais adotem uma abordagem mais holística da mensuração de dados neste ano. Isso fará com que os remetentes de e-mail se concentrem mais nas principais métricas, como cliques e conversões, bem como comportamentos relacionados, como visitas ao site, logins de contas e atividade de compra.

Além disso, eles também se concentrarão em táticas de aquisição que geram novos assinantes mais engajados desde o início. A obtenção de zero-party data (dados fornecidos intencionalmente pelo consumidor ao invés de dados de terceiros captados a partir do comportamento online) será parte fundamental dessa estratégia.

A demanda por dados
A partir de 2022, as grandes multas do GDPR – General Data Protection Regulation (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, da Europa) continuarão à medida que os reguladores endurecerem sua aplicação.

Um relatório do escritório de advocacia global DLA Piper mostra que as autoridades supervisoras de proteção de dados em toda a Europa emitiram um total de quase € 1 bilhão em multas do GDPR desde 28 de janeiro de 2021. Os reguladores estão se inclinando para uma fiscalização mais dura, e 2022 tem o potencial de ser um ano de multas, principalmente porque brechas legais pouco esclarecidas são contestadas nos tribunais. E no Brasil, com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a tendência é que ocorra o mesmo.

Os consumidores também estão se tornando mais conscientes (e cautelosos) de como seus dados pessoais são usados, gerenciados e protegidos. Muitos estão ouvindo nos noticiários sobre violações de dados de alta visibilidade ou multas do GDPR (e da LGPD, no caso do Brasil), bem como fraudes por e-mail e SMS.

Ao mesmo tempo, os golpistas estão se tornando mais experientes e sofisticados com os seus métodos de ataque, tendo os dados na vanguarda de seus esforços. As marcas ainda têm muito a explicar aos clientes sobre como os dados pessoais são usados e mantidos em segurança. A gestão de dados mais eficaz e com maior transparência para os clientes fará parte das melhores práticas fundamentais em todos os setores.

O ano passado ensinou muito às empresas sobre e-mail marketing e gestão de dados. Como as marcas continuam a se adaptar aos novos regulamentos e processos à medida que engajam com os seus clientes será uma narrativa importante. Embora nunca haja uma resposta definitiva para o que 2022 reserva, uma coisa é certa: tem tudo para ser mais um ano de crescimento exponencial para os profissionais de marketing.

Redação

Read Previous

As principais tendências tecnológicas que as empresas devem ficar de olho em 2022

Read Next

Estou doente, por que o INSS negou o benefício?