Pesquisa mostra que mais de 90% dos brasileiros estão infelizes no trabalho

Entre as promessas para o ano novo, ser promovido no trabalho e aumentar o salário estão entre as mais almejadas!

O índice de insatisfação e infelicidade no ambiente corporativo está
alto, é o que mostra pesquisa realizada pelo aplicativo Survey Monkey. O
resultado aponta que 36,52% dos profissionais estão infelizes com o
trabalho que realizam e, 64,24% gostariam de fazer algo diferente do que
fazem hoje para serem mais felizes. Foram pesquisados mais de 300
profissionais, de 21 estados brasileiros e 14 países representados tendo
18 brasileiros expatriados com faixa etária entre 26 e 60 anos de idade.

Já a pesquisa da Love Mondays, uma plataforma que reúne resenhas
anônimas sobre diferentes locais de trabalho, apresenta os seguintes
dados: 58% dos funcionários estão insatisfeitos com seu salário, 40%
veem problema na forma como seus chefes lideram a equipe e 33% gostariam
de trabalhar menos horas.

Desta forma, a maioria acaba trabalhando conforme as oportunidades que
tiveram e não por escolha. “Trabalhar com o que gosta, ter satisfação no
trabalho, receber um salário atrativo, atuar de acordo com o seu dom
parece um sonho distante para a maioria dos colaboradores atualmente”,
comenta Patricia Y Agopian, fundadora da Bússola Executiva que
desenvolve profissionais a serem promovidas no mundo corporativo até uma
posição executiva.

Patricia já formou mais de 800 colaboradores desde o início de 2020 e
planeja chegar ao final do ano com mais de 120 mentorias. “Não se trata
apenas de um trabalho, a vida do profissional é totalmente transformada
quando ele é reconhecido pelo seu esforço e dedicação, mas não basta
somente isso. Existem profissionais com excelentes entregas, mas falha
na comunicação; ou excesso de insegurança. Vemos de tudo, o mercado
corporativo é um jogo, assim como a vida, e você precisa ser estratégico
e ter estofo para dar um passo de cada vez na hora certa”, explica.

Ela acrescenta que a atitude certa no mundo corporativo, seja
comportamental ou emocional é a chave para se destacar, além disso,
entender a engrenagem das corporações facilitará esse processo.

Por isso, destacamos cinco itens fundamentais que podem estar
prejudicando seu desempenho sem que perceba:

– Ser o melhor executor e focar apenas no conhecimento técnico e acabar
preso na execução eterna;

– Carreira de esperança, onde abaixa a cabeça, trabalha muito e espera
um dia ser visto, valorizado, ao invés de se posicionar de forma
Executiva e se tornar desejado, no controle de sua carreira;

– Não fazer uso do ‘Dialeto Executivo’. Ao contrário do que se pensa,
existem dialetos diferentes para cada cargo e é o que vai te conectar a
alta liderança;

– A baixa consciência sobre o caminho que te leva até o topo, caindo no
modelo de tentativa e erro e podendo ficar frustrado ou até mesmo
desanimado, duvidando injustamente se a carreira Executiva é para você.
Qualquer um pode!;

– Quem não tem estratégia compensa com esforço, trabalha muito, fica
fadigado e sem perceber entrega apenas como executor. O que ninguém te
conta é que: “O melhor executor não será Executivo”.

Conheça mais sobre Patricia Y Agopian:

https://br.linkedin.com/in/patricia-yaroussalian-agopian

Redação

Read Previous

Ferramenta de pagamento automático otimiza rotina financeira nas empresas

Read Next

Estratégias nas redes sociais ajudam a alavancar as vendas no início do ano